Site Abílio Diniz – Renata Pessoa – fevereiro/2014

Pergunta: É comum a pessoa impaciente não reconhecer este defeito? Quais os principais sintomas da irritabilidade?

Luiz Cuschnir: Não dá para dizer que é comum mas pode acontecer, mas isso não indica que essa pessoa não aceite de alguém mais próximo, com certo jeito, acessá-la e conseguir mostrar a ela como ela está se comportando. É muito comum eu ver em casais, em fase de reconciliação ou de conflitos intensos entre os dois, que um deles, com mais tranquilidade e no momento certo, conseguirem dizer para

A mãe é fundamental na missão de aproximar o marido dos filhos. Faça sua parte e una a família

1)A hora do parto

O pai pode participar desse momento maravilhoso. Peça a ele que assista, mas não force.

2)A amamentação

Na hora de amamentar, chame seu marido para ficar no quarto juntinho de vocês. Nada de achar que isso vai tirar o interesse sexual dele em você ou que vai prejudicar seu contato com o bebê. As sensações que você vai experimentar amamentando seu filho ficarão ainda mais completas ao ver seu companheiro compartilhar esse ato de amor com você.

Quando as publicações femininas tentam entender o que se passa na cabeça dos homens, quase sempre se perdem no marasmo de perguntas e respostas prontas, requentadas à exaustão e que, no máximo, revelam a ponta do iceberg.

Portanto, se você realmente quiser compreender o que os homens pensam e por que agem como agem, o caminho é ir além do que está na superfície. Esqueça clichês e generalizações e leia este livro, no qual o dr. Luiz cuschnir oferece um retrato completo e fiel da mente masculina. Você vai saber quais são os tipos de homens, como funcionam,

Novo livro do psiquiatra Luiz Cuschnir, que traz apresentação escrita pela jornalista Mônica Waldvogel e será lançado no próximo dia primeiro de agosto na FNAC Paulista, é dedicado a mulheres contemporâneas e independentes em busca de equilíbrio entre vida profissional, social, familiar e amorosa.

“A vida não está fácil para ninguém. Depois de um dia desgastante, no qual só uma mulher como você teria conseguido chegar viva até o fim, você encontra suas amigas. Estão todas radiantes e você logo pensa: “Que vida boa! Se fizessem metade de tudo que eu faço, elas estariam ferradas”. Só que o

Muita gente acredita que ser homem envolve, antes de mais nada, força, coragem e tenacidade. Se possível, com uma boa dose de inteligência, criatividade, sensibilidade e – sempre – com uma pitada de muita virilidade. Quando ao assunto “nova mulher”, as mesmas pessoas acham que ele n@atilde;o tem nada de novo, e que as mulheres procuram, como há pelo menos dez mil anos, homens que sejam reprodutores, provedores e, na medida do possivel, companheiros. Será verdade?

Será que o relacionamento homem/mulher ficou tão mecânico que não há lugar para o sentimento?

Em Masculino, Luiz

Paixões e Segredos dos Homens

Livro revela as paixões e segredos do homem

Não há milagres que ajudem a atingir um estilo de vida afetivo como um happy end de cinema. Todos querem uma fórmula, buscam encontrar uma relação afetiva ideal e ao mesmo tempo duradoura, mas pode-se criar realções “de verdade” como dizem sabiamente as crianças. Ou no mínimo relações menos conflitantes, recheadas de bons momentos e talvez, até, de uma espontânea e agradável bandeira branca.

Os homens estão sedentos de paz, de acordo com o autor deste livro, cujo objetivo é ajudar homens e mulheres a

Entrevista concedida à Revista Pense Leve – novembro/2013

Qualquer trauma emocional afeta em alguma instância o equilíbrio psicológico e diretamente áreas cerebrais e seu funcionamento.

A mensuração disso só é possível verificar pelos sintomas diretos ou indiretos que estão relacionados a eles. Depende muito da maneira como abordamos a questão como profissionais que verificamos como o paciente está comprometido e buscamos associar ao fato ocorrido. Cada uma dessas situações pode ter um caminho no mundo interno psicológico e se abordarmos a questão de outra forma, podemos verificar áreas cerebrais que estão afetadas por essa

Entrevista para Adriana Marmo, da Revista Claudia – novembro /2013

“Especialista nas razões que ainda detonam a velha guerra dos sexos e nos fatores que podem selar a paz, o psiquiatra Luiz Cuschnir diz que é preciso se livrar de estereótipos para entender o homem de hoje, se comunicar melhor com ele e desfrutar uma parceria plena”

Sim, eles ainda amam futebol e sair sozinhos com os amigos, assim como nunca deixaram de detestar uma DR (a famosa discussão da relação)ou qualquer debate que envolva emoções. No entanto, apesar de em muitos pontos eles continuarem os mesmos de sempre, os

Entrevista publicada no Jornal o DIA – Rio de Janeiro – novembro /2013

Problemas cardíacos em mulheres. Um dos fatores que interfere nesses problemas é a forma como a mulher lida com as emoções. Uma pesquisa feita pela editora Abril constatou que muitas sofrem de ansiedade, estresse, desânimo, etc… e que não têm o costume de compartilhar as preocupações e de impor limites.

Gostaria de saber se as mulheres lidam de forma diferente com as emoções quando comparadas aos homens. Caso sim, quais seriam as diferenças?

Vejo mais que as mulheres que

“O homem vai xingar a mãe do amigo, numa brincadeira, em vez de dizer o quanto sente falta dele. Por mais que ele lembre do outro e queira estar junto, pode ficar totalmente paralisado ao encontrá-lo, sem ter certeza se está ou não incomodando.”

Uol Mulher – Marina Oliveira e Rita Trevisan, (matéria “Amigos homens são mais cúmplices, mesmo sem expressar sentimentos”)

“Um homem se torna amigo do outro quando tem a sensação de que é aceito por ele e, muitas vezes, ambos partilham de uma certa dificuldade de demonstrar o quanto se gostam.”

Uol Mulher – Marina Oliveira e Rita Trevisan, (matéria “Amigos homens são mais cúmplices, mesmo sem expressar sentimentos”)

“Existe mais cumplicidade entre homens do que entre mulheres. O homem entende, por exemplo, que não deve revelar tudo sobre seus amigos à companheira, por mais que haja intimidade entre o casal.”

Uol Mulher – Marina Oliveira e Rita Trevisan, (matéria “Amigos homens são mais cúmplices, mesmo sem expressar sentimentos”) 

Geralmente, mulheres passam horas conversando ao telefone, gostam de dividir alegrias e aflições, trocam elogios e declaram constantemente a importância de uma para outra. Já os homens, normalmente, não são adeptos de longas conversas, encontram amigos na mesa de bar ou em um campo de futebol para falar sobre amenidades. Mas isso não indica, de maneira alguma, que a amizade masculina é menos importante ou verdadeira do que a estabelecida entre as mulheres.

Para o psiquiatra Luiz Cuschnir, idealizador do IDEN (Centro de Estudos da Identidade do Homem e da Mulher) e autor do livro “Por

Entrevista publicada no Jornal o DIA – Rio de Janeiro – outubro /2013

Até lá, diz pesquisa, inseguranças financeiras e físicas impedem o amadurecimento

Queixa comum das mulheres foi embasada pela Ciência: os homens não crescem. E é preciso muita paciência até que se tornem maduros. Pesquisa Britânica aponta que somente aos 54 anos eles serão “adultos resolvidos e seguros”. Paternidade tardia e insegurança com relação ao físico estão entre as causas da “maturidade atrasada”.

Realizado pelo Centro Crown Clinic, em Manchester, o estudo analisou mil homens e revelou que somente aos

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Preciso me desabafar. Após 25 anos de convivência, dois filhos, descobri que meu marido tem e teve diversas amantes, há pelo menos 15 anos. Sempre pensei que ele fosse honesto, homem de caráter. Por isso tolerava seus maus humores e distanciamento. Questionei–o, algumas vezes, se ele queria se separar ou se tinha outra. Tudo prontamente negado. Acredito que, como sempre fui independente e tomei conta dos meus negócios e dos dele também, ele acabou se acomodando nessa boa vida de fachada. Vivia comigo e saía para o motel com suas alunas,

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Olá, me separei há 4 meses, tenho um filho de 1 ano. Meu ex adora a criança e desde que nos separamos e ele voltou para a casa dos pais, não conseguimos mais nem conversar, só rola brigas.

Eu o amo muito, mas mandei-o embora de casa por estresse e depois corri atrás… depois só piorou! Quero muito ele de volta, só que ele está de uma maneira tão fechada pra mim que já não sei por aonde caminhar.

O que devo fazer? Evitá-lo? Ou desistir da minha família?

A família

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Adoro suas matérias e elas me ajudam em momentos de crise (rsrs.)

Gostaria de saber se um homem pode cair fora ao se sentir pressionado para casar. Tenho 20 anos e até uma semana atrás namorei um homem de 52 anos, que era separado há dois anos. Namoramos durante 10 meses. Viajamos muito… eu passava todos os finais de semana na casa dele e também dormia lá algumas vezes da semana.

Estávamos num ritmo bom até que minha mãe nos pressionou. Ela disse que ele só me queria como companheira de

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Gostaria de saber se todo homem que você atende trai. Todo homem gosta ou pensa em prostitutas? O que faz um homem abandonar uma família para morar com prostituta? Todo homem procuram e respeita as prostitutas? M., 38 anos.

RESPOSTA: M., com certeza nem todo homem trai nem procura prostitutas. Hoje em dia, com os novos paradigmas da sociedade, tanto masculinos como femininos, as relações sexuais podem ocorrer de uma maneira mais aberta mesmo que menos comprometida, como por exemplo, entre conhecidos, colegas ou encontros casuais. Quando há o abandono da

Conversando com Dr. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Dr. Luiz. Sabe, a gente é um casal aberto e dialogamos bastante a respeito da divisão de tarefas e das funções de cada um dentro de casa. Temos dois filhos sendo a menor ainda um bebê. Fico muito tempo com as crianças e ele trabalha várias horas por dias. Como o senhor vê isso? Por que é, ou não, tão fundamental a participação dos pais nos cuidados e na divisão de tarefas em casa? Isso favorece o quê?

RESPOSTA: Não é fundamental mostrar o pai cuidando da casa como o é

Conversando com Dr. Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Dr. Luiz. Quero muito que o meu namorado faça terapia antes de casarmos. Já estamos juntos há mais de seis anos e acho que ele precisa esclarecer melhor o que o prende para se desenvolver mais como profissional e também como homem num todo. O que ele pode fazer para sair desse tipo de situação? O que o homem pode fazer para se automotivar e viver bem não importa em que fase da vida ele esteja?

RESPOSTA: Nos trabalhos de psicoterapia especializada nas questões de gênero, no caso masculino, o Gender Group

Conversando com Dr. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Meu nome é Cristiane e venho lendo muito sobre seu trabalho, principalmente relacionado às crises dos homens. Realmente é incrível admitir que os homens sabem mais sobre as mulheres do que o contrário.

Estou tendo um problema muito sério com meu noivo. Ele tem 36 anos, e morava em uma cidade chamada I. S.. Durante muitos anos ele vem tentando sair para poder trabalhar com o que gosta realmente. Recentemente ele se mudou para São Paulo e está trabalhando finalmente com o que gosta. Ele é jornalista e vem de uma

Conversando com Dr. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Olá, Dr Luiz, bom dia. Tenho 23 anos e sou casada há oito anos. Meu marido tem 27 anos e nossa relação sempre foi de brigas desde namorados, ele sempre queria me dominar. Quando casamos ele chegou a me agredir, algumas vezes não tirava sangue, mas ficava roxo ou dolorido. Faz uns anos que ele não mim bate, mas diz palavras que ferem. Eu era a mulher perfeita durante seis anos. O que ele queria eu fazia. Eu era como um cachorro. Ele é um dono de casa excelente. Tenho um

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Boa noite, estava lendo sua matéria. Incrível, mas vivi com minha ex e com as crianças dela durante 8 anos. Hoje as meninas estão com 10 e 12 anos e estamos separados há 5 meses. Ela tem um namorado e me proíbe de ver as crianças, sendo que também temos uma filha de 6 anos da nossa união. Não sei o que fazer, pois sinto muita falta delas e sei que cada dia esta me distanciando mais. Obrigado, M.

RESPOSTA: M. é dramática a tua situação. Ficar longe das suas filhas

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Dr. gostaria de um conselho. Estou namorando uma pessoa uns 15 anos mais velha que eu. Ele é separado e eu sou solteira. Acha que poderia dar certo? A situação é a seguinte: tenho meu ex que vive querendo estragar meu relacionamento. Esse é um homem é sofrido, pois a ex o traiu. O que devo fazer para mostrar que sou diferente pois é inseguro. Agora veio com uma estória que ele tem uma amiga de 27 anos e ele vive dando conselhos à ela…ela disse que não quer ele pois

“Sem repertório histórico para lidar com a infidelidade feminina, os homens buscam maneiras de enfrentar a surpresa e a dor. Aqui, eles relatam seus dramas e refletem sobre a experiência e suas conseqüências.”

Revista Cláudia – Setembro de 2013

“Depois de uma traição, os homens ficam com uma sensação de derrota. Eles levam o trauma adquirido com a companheira em questão para a vida e têm dificuldade de se entregar nas futuras relações.”

Revista Claudia – Setembro de 2013

Entrevista concedida à Revista UOL – agosto/2013

Curso de atualização, especialização ou pós-graduação. Homens têm interesse em atividades que preencham o seu conhecimento. Frequentar algum lugar, dá chance para ficar mais perto e vencer os primeiros momentos onde irão se conhecer em papos mais gerais.

Livrarias são lugares que certos homens gostam de ir. Ficam fuçando e nem sempre travam conhecimento com alguém mas às vezes, com a mulher dando o primeiro passo, pode dar certo. Nos cafés desses lugares, eles ficam e podem abrir uma chance se estiverem em mesas próximas.

Também cafés onde eles levam os laptops para

Adolescente – Pedaço de Homem

Homem/Adolescente são dois livros em um, mas fundamentais e complementares. Em Adolescente, o autor mostra que os jovens encaram o mundo como algo a ser trasformado, reformulado com a sua presença, mas eles consideram isso muito complicado, pois nunca sabem se estão certos ou não.

Para Cuschnir, o adolescente tenta enxergar alternativas, mas só vê e conhece os caminhos do pai. Inveja as conquistas “do velho” e até admira, mas sente-se muito diferente dele. Ou então discorda de tudo o que o pai representa e implica com o jeito dele ser, embora no

Revista Claudia

Não é só a gente que se angustia por não saber como lidar com o companheiro em alguns momentos da vida a dois. Eles sofrem do mesmo mal. Um estudo recém concluído pela universidade de São Paulo apontou as três principais inquietações masculinas em relação a nós. Eles querem, mas nem sempre conseguem: se apaixonar intensamente, aprender a romper relacionamentos ruins e lidar bem com o dinheiro do casal.

“Os homens desejam ser conquistados pela mulher. Quando isso não ocorre ou descobrem que quem está ao lado deles não os fará felizes como imaginavam, ficam profundamente aflitos. Por

Revista Mais Bases – 07/2013

A forma como cada pessoa reage à passagem do tempo depende de como ela cuida do seu corpo e da sua mente

Há uma determinada fase da vida em que homens e mulheres começam a perceber a passagem do tempo no corpo e na mente. Sentem que muitas ambições que tinham na juventude não foram realizadas e que a idade atual já não lhes permitirá realizar algumas delas. É como se a pessoa percebesse que não somente a vida tem um fim, mas que mais da metade da vida

Entrevista concedida para UOL Mulher – julho/2013

Pergunta: Quais são as causas mais comuns da perda do desejo das mulheres?

Luiz Cuschnir: Mulheres mais reprimidas, que têm a dificuldade de se soltar numa relação sexual, tenderão a ter mais esse sintoma. Ele pode estar associado com a Dispareunia (dor no ato sexual) e outros quadros que afetam a possibilidade de sentirem a satisfação em virtude de incômodos nessa hora. Com o tempo a mulher vai evitando as relações e assume uma rotina de vida onde não inclui a atividade sexual na sua vida. Quadros psiquiátricos como fobias e depressões podem

Entrevista concedida à Revista Men’s Health – julho/2013

MH: Quais fatores psicológicos levam um homem a desenvolver obsessão pela forma física?

Luiz Cuschnir: Questões ligadas à insegurança psicológica de como está sendo considerado pelos outros, pode levar a necessidade de se apresentar fisicamente de uma maneira que o confirme a sua presença nesse sentido. A obsessão, que implica em uma subordinação a essa necessidade, no caso baseada nos aspectos físicos, torna um homem dependente ao extremo de se preparar fisicamente ao ponto de poder deteriorar outras atividades importantes de sua vida. Ele precisa dessa imagem física para se sentir aceito e

Site Abílio Diniz– Nancy Campos – maio/2013

Para corrigir os próprios defeitos é preciso primeiramente aceitá-los, por meio do autoconhecimento, da reflexão e das críticas alheias, segundo o psiquiatra e psicoterapeuta Luiz Cuschnir.
Idealizador e coordenador do GENDER GROUP do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo e do IDEN (Centro de Estudos da Identidade do Homem e da Mulher), o especialista defende que para nos aprimorarmos devemos abraçar todos os aspectos do nosso ser e, assim, trazer à tona o melhor de nós. Confira a entrevista:

Pergunta: Qual o

Revista Villa Mariana – 05/2013

Felicidade, amor, trabalho e, talvez o mais importante, liberdade. Como homens e mulheres se satisfazem individualmente e como se relacionam no mundo de hoje? Você sabe?

Conversamos com o doutor Luiz Cuschnir, médico psiquiatra e um dos mais respeitados especialistas brasileiros quando o tema são homens, mulheres, casais e família. Mestre em Psiquiatria pela USP e especializado em Psicodrama em São Paulo, na Argentina e Estados Unidos, Cuschnir é autor de nove livros, consultor de diversos veículos da grande mídia, idealizador e coordenador do Gender Group® do Instituto de

“A mulher muito independente pode fazer o parceiro perder o referencial de masculinidade, o sentimento de ser a estrutura, a fortaleza da relação. No entanto, se a esposa demonstra alguma fragilidade, ela deixa de parecer tão poderosa e ele se sente útil, recolocado em sua posição de proteção. O marido tem prazer em exercer o papel de forte, que historicamente é dele.”

Mulher Negra e CIA

“O problema é que essa opção (carreira) pode trazer perdas irreparáveis. Uma casa não é feita apenas de quatro paredes e contas a pagar, mas também de aconchego – e isso depende da proximidade do casal e do nível de afinidade que ele tem no intervalo extra-trabalho. O drama é que esse intervalo está cada vez menor, mas boa parte das mulheres quer conciliar e não escolher entre profissão e amor. Todas as conquistas são importantes para elas. A carreira e o convívio com a família são realizações diferentes que se completam.

Mulher Negra e CIA

“Começar um relacionamento é fácil, os costumes estão mais liberais. Manter é que está difícil. Todos estão ocupados demais e sem tempo para se conhecer de verdade. Com pouco tempo para conviver, os casais acabam se julgando depois de observar muito pouco, e não há relacionamento que resista”.

Site www.obsidiana.com.br – Fabiana Corrêa

Site Abílio Diniz – Mariana Uchôa – janeiro/2013

Muitas vezes escutamos a frase: “os olhos são a janela da alma”. Mas você sabe o significado dessa expressão? De acordo com o psicólogo, idealizador e coordenador do Gender Group do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, Luiz Cuschnir, o olhar abre um atalho para a comunicação, sem necessidade de outro recurso ou órgão sensorial. E dessa forma, é possível acessar algo mais profundo dentro das pessoas. “O olhar pode até contar com um complemento, como uma mímica facial ou uma postura corporal, mas, geralmente, ele é