O número de divórcios cresce a cada ano no mundo, e o Brasil acompanha esta estatística. As pessoas se casam menos, e o casamento passa a ser visto como ultrapassado. Usando como base a experiência que adquiriu ao resgatar inúmeros relacionamentos de situações de crise, Dr. Luiz Cuschnir propõe uma nova perspectiva para a união matrimonial. Levando em consideração as mudanças de rotina da vida contemporânea, ele apresenta uma maneira mais atual de enxergar o casamento e demonstra que é possível mantê-lo saudável, mesmo em tempos de grande individualismo. Ainda vale a pena é um verdadeiro manual

Quando as publicações femininas tentam entender o que se passa na cabeça dos homens, quase sempre se perdem no marasmo de perguntas e respostas prontas, requentadas à exaustão e que, no máximo, revelam a ponta do iceberg.

Portanto, se você realmente quiser compreender o que os homens pensam e por que agem como agem, o caminho é ir além do que está na superfície. Esqueça clichês e generalizações e leia este livro, no qual o dr. Luiz cuschnir oferece um retrato completo e fiel da mente masculina. Você vai saber quais são os tipos de homens, como funcionam,

Novo livro do psiquiatra Luiz Cuschnir, que traz apresentação escrita pela jornalista Mônica Waldvogel e será lançado no próximo dia primeiro de agosto na FNAC Paulista, é dedicado a mulheres contemporâneas e independentes em busca de equilíbrio entre vida profissional, social, familiar e amorosa.

“A vida não está fácil para ninguém. Depois de um dia desgastante, no qual só uma mulher como você teria conseguido chegar viva até o fim, você encontra suas amigas. Estão todas radiantes e você logo pensa: “Que vida boa! Se fizessem metade de tudo que eu faço, elas estariam ferradas”. Só que o

Muita gente acredita que ser homem envolve, antes de mais nada, força, coragem e tenacidade. Se possível, com uma boa dose de inteligência, criatividade, sensibilidade e – sempre – com uma pitada de muita virilidade. Quando ao assunto “nova mulher”, as mesmas pessoas acham que ele n@atilde;o tem nada de novo, e que as mulheres procuram, como há pelo menos dez mil anos, homens que sejam reprodutores, provedores e, na medida do possivel, companheiros. Será verdade?

Será que o relacionamento homem/mulher ficou tão mecânico que não há lugar para o sentimento?

Em Masculino, Luiz

Paixões e Segredos dos Homens

Livro revela as paixões e segredos do homem

Não há milagres que ajudem a atingir um estilo de vida afetivo como um happy end de cinema. Todos querem uma fórmula, buscam encontrar uma relação afetiva ideal e ao mesmo tempo duradoura, mas pode-se criar realções “de verdade” como dizem sabiamente as crianças. Ou no mínimo relações menos conflitantes, recheadas de bons momentos e talvez, até, de uma espontânea e agradável bandeira branca.

Os homens estão sedentos de paz, de acordo com o autor deste livro, cujo objetivo é ajudar homens e mulheres a

Adolescente – Pedaço de Homem

Homem/Adolescente são dois livros em um, mas fundamentais e complementares. Em Adolescente, o autor mostra que os jovens encaram o mundo como algo a ser trasformado, reformulado com a sua presença, mas eles consideram isso muito complicado, pois nunca sabem se estão certos ou não.

Para Cuschnir, o adolescente tenta enxergar alternativas, mas só vê e conhece os caminhos do pai. Inveja as conquistas “do velho” e até admira, mas sente-se muito diferente dele. Ou então discorda de tudo o que o pai representa e implica com o jeito dele ser, embora no

A Revolução Silenciosa

Livro desmascara a alma masculina

Há rostos que se transformam em máscaras, aponto de não nos reconhecermos mais no espelho. E há máscaras que se confundem com o próprio rosto, escondendo os nossos sentimentos mais camuflados, as nossas verdades mais subcutâneas, os nossos desejos mais contidos. Desse modo, sem conter a criatividade, com conhecimento profundo sobre o assunto, Dr. Luiz Cuschnir e Elyseu Mardegan Jr. desvendam fascinantes véus da personalidade masculina, em “Homens e suas Máscaras – A Revolução Silenciosa”.

Mais do que apresentar um minucioso estudo das máscaras, analisadas metafórica ou simbolicamente, o livro

Sentimentos e buscas que invadem nossos relacionamentos e como lidar com eles

Luiz Cuschnir aborda neste livro um tema delicado: abuso, o seqüestro, a invasão emocional, ou seja, as faces ocultas do amor. Segundo o autor, somos bombardeados por tentativas de seqüestros todos os dias; não é aqueles que aparecem na televisão, com agressão física, armas e prisão.

É algo bem mais sutil e lento, em que a violência é emocional, as armas estão nas mãos daqueles que deveriam nos amar e o cativeiro pode ser nossa própria casa, cama ou poltrona.

É possível sermos violados pela

Uma história dos seu encontros e diferenças.

Esta obra está baseada em estudos de conflitos na relação dos gêneros masculino e feminino, e não tem a pretensão de criar a fórmula do amor eterno nem quer ser um guia de como salvar um casamento. Quer apenas que os dois sexos consigam conviver em harmonia, respeitando e admirando um ao outro.

Neste livro Luiz Cuschnir, um dos mais respeitados psiquiatras e psicoterapeutas brasileiros, mostra de forma romanceada como andam os relacionamentos entre homens e mulheres neste início de século XXI. Na obra, Cuschnir une ficção e realidade, através das experiências de

Livro revela o mapa da alma Feminina

O autor, dr. Luiz Cuschnir, nos conduz a uma viagem pelo continente “mulher” e mostra toda sua complexidade, riqueza e, ao mesmo tempo, simplicidade.

Em linguagem clara e direta, aborda o comportamento da mulher atual, suas motivações, seus desejos, suas decepções.

A suportar tudo isso, há a experiência do psicoterapeuta que estuda a “alma” da mulher de maneira criteriosa e científica – mas apaixonada, também – em convivência diária, ao longo de anos de trabalho, com suas pacientes e as mulheres de sua vida.

As revelações são certamente surpreendentes para as

Organização e Tradução: Luiz Cuschnir.

Como poderia o pioneiro do psicodrama e da sociometria, do role playing, da psicoterapia de grupo, do moderno teatro da espontaneidade, de grupos de encontro e da arteterapia, e até de uma técnica para gravações sonoras – como poderia alguém possuidor de tamanho gênio criativo, com tantas influências na cultura contemporânea – como poderia um homem como esse ser tão mal compreendido em sua época? Esse é o mistério da vida de J. L. Moreno.

Em outros tempos, o psiquiatra talvez teria sido um profeta religioso, um mágico ou um guru; em seu

Nesta obra, os profissionais do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo relatam as vivências com seus pacientes no decorrer de seus trabalhos na instituição e suas propostas psicoterapêuticas. Em UMA NOVA ABORDAGEM DO MASCULINO E DO FEMININO – AS QUESTÕES DO GêNERO EM EVIDêNCIA, os psicodramatistas Dr. Luiz Cuschnir e a Dra Marisa Micheloti explicam os conceitos e objetivos que permeiam o Gender Group®, um espaço terapêutico único e inovador que trata as questÕes masculinas entre os próprios homens e as questÕes femininas entre as mulheres. Apresentando desde

Um simpósio sobre amor e sexualidade realizado pelos médicos e psicoterapeutas do Instituto Kaplan em São Paulo, gerou um livro com o aspecto sexual do amor. O Dr. Luiz Cuschnir com o artigo UM OLHAR MASCULINO, trata dos papéis reservados aos homens e mulheres no século 21, sob a ótica de suas experiências com Gender Groups® masculinos e femininos. Que mudanças aguardam ambos os gêneros ao ter que enfrentar e derrubar paradigmas, fazendo com que o homem deseje uma maior participação no vínculo familiar e a mulher, um espaço maior na vida profissional? Como os dois se comportam frente

Nessa coletânea lançada pela Revista Brasileira de Psicodrama, o Dr. Luiz Cuschnir, através do texto MESA REDONDA DOS MEUS OBJETOS QUE TEM A VER COM MORENO, realiza uma dramatização ou mesa redonda como chama, a partir de cartas, filmes, discos, revistas, newsletters e fotos que colheu em seu período de estudos no Moreno Institute em Beacon nos Estados Unidos em 1973 e em 1981. Cuschnir se auto-apresenta, faz um aquecimento e se coloca como o coordenador da dramatização. Posteriormente promove uma inversão de papéis, uma técnica própria do Psicodrama onde um desempenha o papel do outro e se descreve