Do ponto de vista psíquico, o que é ser mulher?

Sem saber defini-la pois é impossível restringir a uma só visão, arrisco que são tantas quantas as variações que indicariam os tons do Pantone, cartela que se usa para definir as cores. O psiquismo feminino sofre influências enormes do ambiente, que por sua vez estão atreladas à educação que elas recebem, às experiências que vivem ao longo da vida e às condições particulares individuais para enfrentá-las.

Há aspectos em comum? Sim, pode ser, mas ainda de acordo como cada uma pode tomar para si o cuidado com o seu emocional.

– Gostaria que destacasse três generalizações que normalmente escutamos sobre as mulheres e desmistificasse cada uma delas separadamente, por favor. Por que elas são afirmações equivocadas?

1- Mulheres são frágeis e delicadas: esta talvez seja a generalização mais comum e discutida. Uma mulher pode ser sensível, cuidadosa, atenciosa e amorosa mas se manifestar sem tanta delicadeza e muito menos ser delicada. É preciso entender a forma de demonstrar a sensibilidade de maneira individual, nem sempre na delicadeza está o lado sensível de uma mulher.  Falo muito sobre o “poder” feminino residir justamente nos aspectos relacionados a sua identidade como tal no meu livro “Como

*No seu livro “Por dentro da cabeça dos homens”, você fala de diferentes tipos de homens. Quais tipos são esses?

Neste livro falo de vários tipos de homens, já que não se pode dizer que os homens são somente de um jeito. Precisamos utilizar características mais comuns e que conciliem em maneiras de ser que vários podem ter.

Digo isso porque nunca se pode afirmar que todos seriam introvertidos já que temos os que gostam de se expor, pelo menos mostrar quem são para serem reconhecidos.

Outros são mais discretos, chegando a serem introvertidos ou retraídos, que detestam que se

Redatora: Ana Paula Costa                                                     Jornal A Tribuna (Vitória, ES)

* Em um artigo, um colunista que explora o universo masculino disse que o homem, no dia a dia, é mais frágil do que aparenta para a mulher. Ainda é um tabu para eles mostrar essa fragilidade?
Essa fragilidade é relativa e como tudo, depende do lugar de onde ela é vista e avaliada. Costuma-se dizer isso em relação ao lidar com a expressão

Entrevista do Dr. Luiz Cuschnir para Revista Máxima de                 Portugual – Por Sofia Teixeira

HOMENS À BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS

Numa sociedade que valoriza cada vez mais a sensibilidade e a cooperação, atributos masculinos outrora importantes como a autoridade e a virilidade são agora questionados. Muitos adaptaram-se, outros deixaram de saber quem são. Estarão os homens a enfrentar uma crise de masculinidade?

 

O psiquiatra brasileiro Luiz Cuschnir estuda e escreve livros sobre este tema há mais de 30 anos. E defende que, olhando para trás a situação para os homens já foi pior. Nos anos 90,

  1. Queremos saber um pouquinho sobre você, sua carreira e seus livros.

 

Cuschnir por Cuschnir

Eu poderia ter sido engenheiro, arquiteto ou administrador de empresas, mas quando assisti o filme Freud, Além da Alma me fascinei com a Psiquiatria e decidi meu destino profissional. De repente, aos 17 anos, me vejo longe da família, cursando medicina na Faculdade de Ciências Médicas de Santos, mas ao invés de me dedicar apenas à psiquiatria, resolvi estudar todas as matérias médicas. Queria me preparar mais amplamente primeiro.

Nos meus primeiros anos como psicoterapeuta, atendi um número grande de adolescentes. Nas sessões

No seu livro “Por dentro da cabeça dos homens”, você fala de diferentes tipos de homens. Quais tipos são esses?

Neste livro falo de vários tipos de homens, já que não se pode dizer que os homens são somente de um jeito. Precisamos utilizar características mais comuns e que conciliem em “maneiras de ser” que vários podem ter.

Digo isso porque nunca se pode afirmar por exemplo, que todos seriam introvertidos já que temos os que gostam de se expor, pelo menos mostrar quem são para serem reconhecidos. Outros são mais discretos, chegando a serem introvertidos ou retraídos, que detestam

Estamos fazendo uma matéria sobre coisas que não devem ser ditas aos homens pelas mulheres. Isso porque as mulheres e os homens têm seus pontos fracos em temas diferentes, e as mulheres nem sempre percebem que um determinado assunto é um tabu masculino.  
 
Considerando isso, seguem as perguntas abaixo: 
  
* Em um artigo, um colunista que explora o universo masculino disse que o homem, no dia a dia, é mais frágil do que aparenta para a mulher. Ainda é um tabu para eles mostrar essa fragilidade?  
Essa fragilidade é relativa e como tudo,

O número de divórcios cresce a cada ano no mundo, e o Brasil acompanha esta estatística. As pessoas se casam menos, e o casamento passa a ser visto como ultrapassado. Usando como base a experiência que adquiriu ao resgatar inúmeros relacionamentos de situações de crise, Dr. Luiz Cuschnir propõe uma nova perspectiva para a união matrimonial. Levando em consideração as mudanças de rotina da vida contemporânea, ele apresenta uma maneira mais atual de enxergar o casamento e demonstra que é possível mantê-lo saudável, mesmo em tempos de grande individualismo. Ainda vale a pena é um verdadeiro manual

Pode parecer que há um prolongamento na dependência dos filhos, quando se fala do ponto de vista econômico mas por outro lado, há um distanciamento maior, emocional, propiciado pela amplitude que os canais de informação oferecem para a apresentação do que é o mundo para eles. Não é só o progenitor que oferecerá os mais importantes caminhos para esse filho se tornar um homem e essa filha uma mulher. Ele sairá por aí e receberá muito, com uma qualidade distinta ao que um vínculo paterno proporcionaria.

 

Esse distanciamento afeta a relação afetiva, a troca inexistente ou interrompida que propicia

Entrevista ao Jornal A Tribuna de Vitoria (Ana Paula Costa)

Em vez de procurar sua cara-metade, alguns homens demonstram que preferem se equilibrar entre relacionamentos superficiais, saindo com várias mulheres ao mesmo tempo.

E para se esquivar de um compromisso mais sério, eles ainda lançam mão de um reper- tório de desculpas esfarrapadas, irritando a mulherada, que não aguenta mais o papo-furado do time masculino. O AT2 levantou com as solteiras quais são as frases mais manjadas usadas por eles, e a seleção de pérolas impressiona.

Especialistas explicam que esse tipo de comportamento, de enrolar uma mulher com muito lenga-lenga, evidencia

ENTREVISTA A REVISTA NOVA COSMOPOLITAN

NOVA – Acredita que o feminismo é um ataque ao cavalheirismo?

O que tenho estudado nesses mais de 40 anos como profissional especializado no relacionamento homem/mulher é que nas primeiras etapas do feminismo, o ataque não era ficando o cavalheirismo mas sim a desvalorização que a sociedade tinha em relação à mulher. Os cavalheiros não eram mal vistos mas podiam ser mal interpretados, se a atitude condissesse com transformar a mulher em um objeto, incapaz.

Com o tempo, muitas atitudes caíram em desuso, tidas como cavalheirescas como sinônimo de “antigas”, em desuso, mas acompanho muitos

Entrevista ao jornal A Tribuna de Santos (MAURÍCIO MARTINS)

 

A Tribuna – Quando falamos em depressão, o que há de novidade em pesquisas sobre a doença e quais as diferenças de sintomas em homens e mulheres? O que há de mais novo em tratamento?

Hoje falar de depressão é muito diferente do que já foi em décadas passadas. O preconceito a diagnósticos e doenças psíquicas é muito menor e com isso, o acesso a tratamento fica mais fácil. A ampliação dos métodos diagnósticos e do conhecimento médico sobre ela, facilitaram muito o entendimento e a aceitação da sociedade como

“A frequência do
 contato é uma boa 
medida para identificar se um homem quer compro
-misso. Se a mulher
 percebe que há um 
interesse na vida
 dela, pode-se dizer que ela tem uma importância para que se estabeleça, quem sabe, algum tipo de vínculo”.

Daniela Venerando

Em 15 de julho comemora-se o Dia do Homem no Brasil —celebrado internacionalmente em 19 de novembro. Por aqui, a data foi proposta pela Ordem Nacional dos Escritores, em 1992, com o objetivo principal de lembrar dos cuidados com a saúde do homem. Também foi instituída para discutir a igualdade entre os gêneros masculino e feminino e o paradigma do homem contemporâneo, que já não segue o mesmo padrão comportamental do século passado. Para trazer à tona essas mudanças, conversamos com o psiquiatra Luiz Cuschnir, autor dos livros ‘Por Dentro da Cabeça dos Homens’ (Editora Planeta) e ‘Ainda

Folha de São Paulo – Jornalista Juliana Vines
Entrevista Concedida – 19/11/2014

FSP – Primeiro, é possível responder à pergunta de um milhão de dólares: por que as pessoas traem?

Luiz Cuschnir – Posso dizer que traem porque são pessoas, seres humanos e não estereótipos de divindades ou seres perfeitos como se idealizam e são idealizadas. Por outro lado, acabam traindo por não terem conseguido controlar algo que desejam, condutas que se impuseram ou foram impostas para a preservação monogâmica de um relacionamento.

FSP  – Vi pesquisas de sites de traição que elencam motivos, como falta de sexo, monotonia, falta de

Revista Claudia – Jornalista Liliane Oraggio
Entrevista concedida – 05/03/2014

Homens e mulheres têm disponível drives distintos em relação a vários assuntos: amor, sexo, diálogos, corpo, tempo etc. Como falo no meu livro “Por dentro da cabeça dos homens” (Ed. Planeta). A genética não nos deixa mentir. Mulheres são XX e homens, XY. Uma única letra, e a confusão foi armada.

A vida sexual para elas pode ter um espaço vital como uma declaração de amor a cada relação e para o homem ter um sentido estrito de alívio e relaxamento.
Com o transcorrer de um relacionamento mais

Revista Nova – outubro/2014

Não vamos ser hipócritas: as fotos de um cara mega gato geram muita expectativa, claro. Mas o que chama a atenção nesse estudo é como cada sexo lida com a frustração.

 
O psiquiatra e psicoterapeuta Luiz Cuschnir, autor do livro “Por Dentro da Cabeça dos Homens” (Academia/Planeta), de São Paulo diz que para os homens, esse tipo de date é muito mais “mata-mata”: eles estão, em um primeiro momento, atrás de sexo, não de um relacionamento. “A decepção de encontrar uma mulher tão diferente da fantasia que criaram gera um antagonismo mental e mobiliza,

No passado, o homem não tinha a noção clara da própria insatisfação. Em decorrência disso, morria mais cedo e passava pela vida deprimido, sem procurar ajuda médica. Hoje, está mais consciente do que representa como provedor e amante. Aprendeu a reclamar e já não esconde suas angústias como no passado. Quando aceita que está fraco ou entende que precisa lidar melhor com suas emoções e conflitos, pede ajuda. O super-homem faliu e nasceu um homem de verdade”, Luiz Cuschnir, 64 anos, psiquiatra e coordenador do Gender Group do Instituto de Psiquiatria da USP (Universidade de São Paulo).

Uol Mulher –

Para o psiquiatra e psicoterapeuta Luiz Cuschnir, homens são sensíveis da maneira deles, mas a pressão feminina é grande

De um lado, elas querem carinho e atenção em momentos difíceis de suas vidas. Do outro lado, eles não entendem as necessidades delas, ou não conseguem oferecer o que elas precisam de fato.
Esse conflito de interesses pode estar por trás da imagem negativa que as mulheres têm dos homens, e que ficou evidenciada na pesquisa “Homem Homem” , explicou o psiquiatra e psicoterapeuta Luiz Cuschnir. O especialista, que é autor do livro “Por Dentro da Cabeça Dos Homens” (ed.

Tempo de Mulher – abril/2014

Uma declaração recente do ator Bruno Gissoni, em entrevista ao jornal “O Globo”, deu o que falar. Para ele, “um pouco de machismo [na relação] faz bem, senão vira bagunça”. O ator vive o personagem André na novela “Em Família”, e namora Luíza, interpretada pela atriz Bruna Marquezine. Depois, pelo Twitter, o ator se defendeu dizendo que não é machista e que sua declaração foi tirada de contexto. A questão é que nenhuma atitude de natureza machista faz bem em relacionamentos afetivos.

Mas não estamos tão distante dessa realidade comportamental dos

Revista VIP – Cláudia de Castro Lima – março/2014

PESQUISA MOSTRA COMO MULHERES VEEM OS CARAS ATUALMENTE. E NÃO É NADA BOM

Mais grosseiros. E também mais egoístas. É assim que a mulherada vê os homens de hoje. E os aspectos negativos não param por aí. Elas também acham que o homem atual está menos educado e as respeita menos. Esse cenário desolador é parte do resultado de um estudo encomendado pela Procter & Gamble aos instituto de pesquisa Ilumeo para o lançamento no Brasil dos desodorantes Old Spice, para o qual foram ouvidos

Quando as publicações femininas tentam entender o que se passa na cabeça dos homens, quase sempre se perdem no marasmo de perguntas e respostas prontas, requentadas à exaustão e que, no máximo, revelam a ponta do iceberg.

Portanto, se você realmente quiser compreender o que os homens pensam e por que agem como agem, o caminho é ir além do que está na superfície. Esqueça clichês e generalizações e leia este livro, no qual o dr. Luiz cuschnir oferece um retrato completo e fiel da mente masculina. Você vai saber quais são os tipos de homens, como funcionam,

Muita gente acredita que ser homem envolve, antes de mais nada, força, coragem e tenacidade. Se possível, com uma boa dose de inteligência, criatividade, sensibilidade e – sempre – com uma pitada de muita virilidade. Quando ao assunto “nova mulher”, as mesmas pessoas acham que ele n@atilde;o tem nada de novo, e que as mulheres procuram, como há pelo menos dez mil anos, homens que sejam reprodutores, provedores e, na medida do possivel, companheiros. Será verdade?

Será que o relacionamento homem/mulher ficou tão mecânico que não há lugar para o sentimento?

Em Masculino, Luiz

Paixões e Segredos dos Homens

Livro revela as paixões e segredos do homem

Não há milagres que ajudem a atingir um estilo de vida afetivo como um happy end de cinema. Todos querem uma fórmula, buscam encontrar uma relação afetiva ideal e ao mesmo tempo duradoura, mas pode-se criar realções “de verdade” como dizem sabiamente as crianças. Ou no mínimo relações menos conflitantes, recheadas de bons momentos e talvez, até, de uma espontânea e agradável bandeira branca.

Os homens estão sedentos de paz, de acordo com o autor deste livro, cujo objetivo é ajudar homens e mulheres a

“O homem vai xingar a mãe do amigo, numa brincadeira, em vez de dizer o quanto sente falta dele. Por mais que ele lembre do outro e queira estar junto, pode ficar totalmente paralisado ao encontrá-lo, sem ter certeza se está ou não incomodando.”

Uol Mulher – Marina Oliveira e Rita Trevisan, (matéria “Amigos homens são mais cúmplices, mesmo sem expressar sentimentos”)

“Um homem se torna amigo do outro quando tem a sensação de que é aceito por ele e, muitas vezes, ambos partilham de uma certa dificuldade de demonstrar o quanto se gostam.”

Uol Mulher – Marina Oliveira e Rita Trevisan, (matéria “Amigos homens são mais cúmplices, mesmo sem expressar sentimentos”)

“Existe mais cumplicidade entre homens do que entre mulheres. O homem entende, por exemplo, que não deve revelar tudo sobre seus amigos à companheira, por mais que haja intimidade entre o casal.”

Uol Mulher – Marina Oliveira e Rita Trevisan, (matéria “Amigos homens são mais cúmplices, mesmo sem expressar sentimentos”) 

Geralmente, mulheres passam horas conversando ao telefone, gostam de dividir alegrias e aflições, trocam elogios e declaram constantemente a importância de uma para outra. Já os homens, normalmente, não são adeptos de longas conversas, encontram amigos na mesa de bar ou em um campo de futebol para falar sobre amenidades. Mas isso não indica, de maneira alguma, que a amizade masculina é menos importante ou verdadeira do que a estabelecida entre as mulheres.

Para o psiquiatra Luiz Cuschnir, idealizador do IDEN (Centro de Estudos da Identidade do Homem e da Mulher) e autor do livro “Por

Entrevista publicada no Jornal o DIA – Rio de Janeiro – outubro /2013

Até lá, diz pesquisa, inseguranças financeiras e físicas impedem o amadurecimento

Queixa comum das mulheres foi embasada pela Ciência: os homens não crescem. E é preciso muita paciência até que se tornem maduros. Pesquisa Britânica aponta que somente aos 54 anos eles serão “adultos resolvidos e seguros”. Paternidade tardia e insegurança com relação ao físico estão entre as causas da “maturidade atrasada”.

Realizado pelo Centro Crown Clinic, em Manchester, o estudo analisou mil homens e revelou que somente aos

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Preciso me desabafar. Após 25 anos de convivência, dois filhos, descobri que meu marido tem e teve diversas amantes, há pelo menos 15 anos. Sempre pensei que ele fosse honesto, homem de caráter. Por isso tolerava seus maus humores e distanciamento. Questionei–o, algumas vezes, se ele queria se separar ou se tinha outra. Tudo prontamente negado. Acredito que, como sempre fui independente e tomei conta dos meus negócios e dos dele também, ele acabou se acomodando nessa boa vida de fachada. Vivia comigo e saía para o motel com suas alunas,

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Adoro suas matérias e elas me ajudam em momentos de crise (rsrs.)

Gostaria de saber se um homem pode cair fora ao se sentir pressionado para casar. Tenho 20 anos e até uma semana atrás namorei um homem de 52 anos, que era separado há dois anos. Namoramos durante 10 meses. Viajamos muito… eu passava todos os finais de semana na casa dele e também dormia lá algumas vezes da semana.

Estávamos num ritmo bom até que minha mãe nos pressionou. Ela disse que ele só me queria como companheira de

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Gostaria de saber se todo homem que você atende trai. Todo homem gosta ou pensa em prostitutas? O que faz um homem abandonar uma família para morar com prostituta? Todo homem procuram e respeita as prostitutas? M., 38 anos.

RESPOSTA: M., com certeza nem todo homem trai nem procura prostitutas. Hoje em dia, com os novos paradigmas da sociedade, tanto masculinos como femininos, as relações sexuais podem ocorrer de uma maneira mais aberta mesmo que menos comprometida, como por exemplo, entre conhecidos, colegas ou encontros casuais. Quando há o abandono da

Conversando com Dr. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Dr. Luiz. Sabe, a gente é um casal aberto e dialogamos bastante a respeito da divisão de tarefas e das funções de cada um dentro de casa. Temos dois filhos sendo a menor ainda um bebê. Fico muito tempo com as crianças e ele trabalha várias horas por dias. Como o senhor vê isso? Por que é, ou não, tão fundamental a participação dos pais nos cuidados e na divisão de tarefas em casa? Isso favorece o quê?

RESPOSTA: Não é fundamental mostrar o pai cuidando da casa como o é

Conversando com Dr. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Meu nome é Cristiane e venho lendo muito sobre seu trabalho, principalmente relacionado às crises dos homens. Realmente é incrível admitir que os homens sabem mais sobre as mulheres do que o contrário.

Estou tendo um problema muito sério com meu noivo. Ele tem 36 anos, e morava em uma cidade chamada I. S.. Durante muitos anos ele vem tentando sair para poder trabalhar com o que gosta realmente. Recentemente ele se mudou para São Paulo e está trabalhando finalmente com o que gosta. Ele é jornalista e vem de uma

Conversando com Dr. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Olá, Dr Luiz, bom dia. Tenho 23 anos e sou casada há oito anos. Meu marido tem 27 anos e nossa relação sempre foi de brigas desde namorados, ele sempre queria me dominar. Quando casamos ele chegou a me agredir, algumas vezes não tirava sangue, mas ficava roxo ou dolorido. Faz uns anos que ele não mim bate, mas diz palavras que ferem. Eu era a mulher perfeita durante seis anos. O que ele queria eu fazia. Eu era como um cachorro. Ele é um dono de casa excelente. Tenho um

Conversando com o DR. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Boa noite, estava lendo sua matéria. Incrível, mas vivi com minha ex e com as crianças dela durante 8 anos. Hoje as meninas estão com 10 e 12 anos e estamos separados há 5 meses. Ela tem um namorado e me proíbe de ver as crianças, sendo que também temos uma filha de 6 anos da nossa união. Não sei o que fazer, pois sinto muita falta delas e sei que cada dia esta me distanciando mais. Obrigado, M.

RESPOSTA: M. é dramática a tua situação. Ficar longe das suas filhas