Situações práticas a serem evitadas no início do casamento

Entrevista a Marina Oliveira para o site UOL – Mulher

 

*O primeiro ano do casamento é um período decisivo e até sensível para o casal? Por quê?


Com certeza. Em geral ele vem de uma data muito esperada que na verdade se compõe de uma expectativa gerada no tempo que a antecede. Às vezes longos anos, uma parte da existência para o que significa o casamento e o dia em que acontecerá algo muito esperado como uma comemoração muito especial. Isso tudo gera um estresse e como sempre, o pós estresse também responde com emoções relacionadas. Com essa configuração e mais o processo de adaptação, maior ou menor de acordo como o estilo que o casal vivia, temos a sensibilidade à mostra ou uma possível absorção de conflitos de relacionamentos que podem ou não deixar marcas para o futuro.

*Quais os aprendizados que o casal tem nesse período?

Como depende do que já viviam antes, as discrepâncias, decepções, desajustes também. Casais mais maduros emocionalmente, e com uma experiência de convívio mais íntimo e diário, podem não sofrerem tanto uma mudança de status.

*E existem situações práticas que devem ser evitadas no primeiro ano do casamento? Quais e por quê?


A mais importante é não passar por cima do outro. Ninguém sabe mais que o outro, pelo menos em tudo não. Determinar como funcionarão pode ser até admitido pelo outro, mesmo ara atendê-lo, mas não se colocar ou não deixar que o outro se mostre, cria condições para aparecerem mais claramente mais tarde conflitos com grandes ressentimentos. Pode-se até dizer com certa segurança que muitos assuntos não foram resolvidos quando se fala em diferenças em como lidam com a vida, valores, discrepancias econômicas e sociais, que muitas vezes são tabus.

*Por exemplo, morar próximo aos sogros no início da vida de casado é algo que deve ser evitado? Por quê? De que maneira prejudica os recém-casados?


Próximo aos sogros pode ser tão perigoso como um enorme apoio para os momentos de adaptação. Pessoas despreparadas podem não conseguir de afastar ao ponto de permitir muita invasão das famílias como podem receber apoios que facilitam a vida e diminuem as possibilidades de desajustes nessa adaptação da vida nova. Quando vêem os filhos pode ser vital esse apoio para que os dois sigam a vida profissional com mais tranqüilidade.

 *Assumir compromissos familiares semanais, por exemplo, almoço todo domingo na casa da sogra ou jantar toda quarta-feira na casa do sogro, devem ser evitados? Por quê? De que maneira prejudicam os recém-casados?


Tudo depende de como esse casal está pensando em construir um senso familiar: se é independente das famílias de origem ou se integrando. Em geral famílias constituídas com a proximidade das de origem vão se compondo inserindo conceitos de irmãos, tios, primos etc. que servirão de base para os filhos desse casal. Isso pode facilitar que estes tenham mais percepção dos valores de família e os prepara para constituírem uma no futuro. Pode prejudicar quando existe uma dependência extrema que é maléfica pela invasão e imposição que provoca na constituição do vínculo familiar.

*Ter filhos no primeiro ano de casamento é arriscado para a harmonia do casal? Por quê?

Não dá para se aceitar esta regra sempre. Tudo depende do momento de vida de cada um, inclusive pode ser até bastante indicado se ocorre quando estão mais disponíveis para os percalços de crianças pequenas. É claro que estes primeiros momentos, sem filhos, dão bem mais chances que se conheçam melhor, se adaptem um com o outro e preparem o momento de introduzir um terceiro. Não é incomum que apareçam tensões relacionadas ao distanciamento entre eles e a exaustão desses momentos de filhos pequenos.

*Uma pessoa querer assumir todas as responsabilidades domésticas é prejudicial para o casal? Por quê?

Só vai ser prejudicial se ocorrer em virtude de indicar que a autoridade sobre essa área doméstica fica sob esta gestão. A casa fica dela, seja por que é a que sabe mais como por que é a que depende financeiramente ou é mais pobre que a outra. Envolver o outro no que uma casa importa, com tudo que é mantê-la funcionando, equilibra e dimensiona de uma maneira mais próxima da realidade.

*Falar de problemas na hora do jantar é ruim? Por exemplo, discursar sobre contas a pagar, sobre quem vai levar o carro para a revisão… Por quê? Em que momento essa conversa deve acontecer?

Conversar sobre o que está acontecendo na vida dos dois não é ruim. O que é prejudicial é tornar a refeição o momento de cobranças e prestação de contas. Pode afastar ou impedir o espaço de trocas afetivas e virar um hábito ou propiciar somente encontros “comerciais” deixando de lado as trocas de afeto.

*Dormirem horários diferentes é ruim? Por quê?

Em geral propicia acordar também em horários diferentes. A cama pode ser um momento de intimidade, independentemente de terem relação sexual. É como se pudessem contar coisas, relaxar juntos, se apoiar. Enfim, ajuda a manter a proximidade que a vida por si só já ajuda bastante a afastar os dois.

*Fugir do “delivery” e criar o hábito de cozinhar juntos é uma boa estratégia para esse início de casamento? Por quê?

Se o “delivery” vem para salvar o estresse de cobranças ou o distanciamento do momento de fazerem coisas juntos, depende da utilidade dele. Pedir ao invés de preparar comida, pode livrá-los das cobranças e trabalho e dar mais tempo para se curtirem em outros momentos. Se estarem juntos preparando, tiver o significado de estarem construindo algo para si, se ajudando, tendo prazer de estar nesse espaço da cozinha e não um fardo que gera mal humor, pode valer a pena seguir esse caminho.

*Recém-casados têm uma tendência a querer curtir a casa nova, mas sair uma vez durante a semana para jantar ou ir ao cinema, em vez de ficar apenas no sofá vendo TV, é importante? Por quê?

Acho importante curtirem o espaço da casa nova, principalmente se saem muito para trabalhar e não a configuraram como tal. Estão-se se escondendo do mundo e criam situações de tensão o tempo todo, sair pode ajudar a distender a tensão e esse movimento de sair e voltar arejar os conflitos explícitos ou não.

*Nessa mesma linha, passar todos os finais de semana recebendo pessoas em casa, sem tempo para ficarem sozinhos com seu marido ou esposa é prejudicial? Por quê?

Um casal tão social assim tenderá a vive mais superficialmente, mais voltado a freqüentar ambientes e pessoas e trocar menos só entre eles. Isso pode ser uma fuga desse encontro e precisam verificar o que está acontecendo.

Falo bastante nesse meu livro mais recente (Ainda Vale a Pena – Cultivar para manter os vínculos de amor – Ed. Academia) sobre a questão do respeito.

Aprender sobre como respeitar o outro, não só como um gesto de boa educação, mas enxergando como o outro está na relação, dando espaço para que se coloque, é muito importante nesses primeiros momentos do casamento.

Mágoas podem ficar represadas e se não forem lidadas vão gerar grandes ressentimentos e distorções que podem ser irreparáveis mais tarde.

 

 

Livros Relacionados :

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,