Sete Conselhos para Saude do Casamento

Revista Claudia Fevereiro/2015

Uma seleção de medidas para implantar já na vida a dois

1 – OLHE PARA SI MESMA SEMPRE
Ter clareza sobre seu modo de agir e de reagir e da própria participação na construção da dinâmica da vida a dois ajuda a não sair apontando o dedo diante de insatisfações cotidianas. E investir em crescimento pessoal traz ganhos para os dois. “Quem busca conhecer suas necessidades, seus limites e o sentido de sua vida neutraliza desequilíbrios alheios e até propicia que o parceiro também tenha bons insights para ele e a relação. Há muita gente que faz terapia por meio do outro”, diz o psiquiatra Luiz Cuschnir.

2 – ABANDONE AS DRS
Não se trata de engolir sapos calada. Mas, em vez de discutir a relação, o psiquiatra recomenda conversar sobre a relação. A proposta é apenas contar ao outro o que está sentindo e ouvir como o outro vê a situação. Evite acusar, que é como acender um fósforo em um ambiente inflamável. Faça o contrário: tente apagar o incêndio. “É fácil você fazer o outro baixar a guarda se, como falo no livro, iniciar o papo se incluindo no problema”, diz o médico. “Uma coisa é falar: ‘Você é muito grosso comigo’. Outra é começar assim: ‘Acho que às vezes não olho para seu lado, não
ouço o que diz e não faço o que quer; aí percebo que sua reação é de grosseria. Vamos conversar?’ ”

3 – NÃO ENTRE EM COMPETIÇÕES
Ok, no trabalho a disputa pode ser acirrada. Em casa, não. Esqueça provas do tipo quem entende mais de vinho ou de qual dos dois as crianças gostam mais. Investigue o porquê de tanta competição. Cuschnir tem uma teoria: “No fundo, isso é queixa de falta de atenção. Ninguém vai se importar de sucesso em cima do outro se está recebendo bastante”.

4 – PENSE QUE NINGUÉM É DONO DE NINGUÉM
Segundo o autor, muitas pessoas ainda confundem amor com posse – e não há nada mais pernicioso para uma relação do que esse sentimento. No casamento, a ideia é compartilhar, e não se apoderar da vida do outro. O expert resume: “Não é com posse que se mantém a liga, mas com companhia e presença”. Física ou não.

5 – CULTIVE SEU MUNDO
Um casal é formado por duas pessoas, e cada uma tem seus prazeres, sua turma, suas prioridades. Ninguém deve rescindir do que gosta depois de se casar, sob pena de sobrar ressentimento. É a velha história, diz Cuschnir:
se ele gosta de jogar futebol com os amigos, deve ter espaço para isso. E ela para o drinque com as amigas, a massagem, a ioga…

6 – APRENDA MAIS E MAIS SOBRE AMOR
“As pessoas devem passar a vida se aprimorando na matéria relacionamento”, afirma Cuschnir. Faz sentido: não estudamos muito e nos atualizamos sempre para sermos cada vez melhores na profissão? Conhecimento também ajuda no amor.“Ninguém nasce sabendo e a maioria não vai estudar isso na faculdade.” Então, se dispor a refletir sobre o tema e tirar lições já é um começo

7 – NA RELAÇÃO
Não renuncie ao vínculo diante das dificuldades, mesmo se vocês atravessam uma fase complicada que parece não ter fim. “O que a gente vê é que as pessoas desistem do outro. Os dois param de conversar porque deixam para lá. Pensam: ‘Ah,não adianta falar’ ou ‘Eu peço, mas ele não escuta’. Mais: ‘Já tentei e não dá’. Então, o que o terapeuta de casais ajuda é a restabelecer e melhorar a comunicação, para que ambos não desistam”, conta ele. E diz, otimista: “A mensagem que quero passar no livro é a de que hoje pode ser inverno e as coisas parecerem muito
ruins, mas, aí, pense que vem a primavera”.

Tags:, ,