Problemas no noivado

Conversando com Dr. Luiz Cuschnir – Glorinha Cohen

PERGUNTA: Meu nome é Cristiane e venho lendo muito sobre seu trabalho, principalmente relacionado às crises dos homens. Realmente é incrível admitir que os homens sabem mais sobre as mulheres do que o contrário.

Estou tendo um problema muito sério com meu noivo. Ele tem 36 anos, e morava em uma cidade chamada I. S.. Durante muitos anos ele vem tentando sair para poder trabalhar com o que gosta realmente. Recentemente ele se mudou para São Paulo e está trabalhando finalmente com o que gosta. Ele é jornalista e vem de uma família muito conturbada. Seu pai faleceu, e sua mãe e irmã não tem mais ninguém como família a não ser o meu noivo. Elas ainda estão morando em I. S., mas estão com planos de vir para São Paulo até o Carnaval. Sua mãe tem 66 anos e sua irmã tem 32.

Quando ele (meu noivo) veio até São Paulo, passou um período morando na minha casa. Ficou por um mês e meio e nesse tempo meu pai e eles brigaram feio. Meu pai agrediu fisicamente meu noivo, fazendo com que ele o odiasse. Com isso ele saiu da minha casa e foi morar em um apartamento que está dividindo com mais três rapazes.

Em quanto tudo isso acontecia, eu estava com síndrome do pânico, e não pude tomar rédea de muitas coisas. O seu trabalho de redator estava ótimo até que a editora entrou em crise.

Hoje já estou melhor, não tenho mais sintomas da síndrome do pânico, porém ultimamente ele vem apresentando um comportamento muito diferente do “normal”. Meu noivo sempre foi uma pessoa alegre e também muito afetuoso, mas de uns tempos para cá ele mudou. Não consegue falar comigo, está muito nervoso, confuso, está querendo ficar sozinho, não quer ter contato, já não sabe mais se quer que a mãe dele venha para São Paulo, ele diz que quer ficar com a mãe, que quer ficar comigo, mas ao mesmo tempo quer ser livre.

Já não sei mais como agir, eu o amo muito e estou disposta a ficar do seu lado em qualquer situação, boa ou má, mas não sei como me aproximar.

Por favor, se puder me ajudar ficarei eternamente grata.

RESPOSTA: Não há uma só resposta possível para tudo o que você me apresenta e precisa de respostas. Há várias possibilidades para se conjecturar o que pode estar acontecendo: desde a que ele não quer mais continuar o relacionamento e não consegue te dizer como outras situações pessoais que não tem nada a ver com vocês dois. Em relação à primeira hipótese, ele pode estar esperando uma atitude tua que comprove que ele está em prioridade, inclusive em relação ao teu pai para aí sentir-se seguro que vai ser possível continuarem juntos mesmo com essa ruptura entre ele e seu pai.

Quanto à segunda possibilidade, só dá para conjecturar, pois pode também ter a ver com problemas que ele não acha que você deve saber, que até são da família dele, ou dele próprio. Homens vivem seus problemas e podem não querer compartilhar nem com a pessoa que mais amam. Assim eles são…

Não tenho idéia se seria adequado vocês morarem juntos, só os dois. Quem sabe com a tua ajuda vocês poderiam compor uma possibilidade econômica e aí voltarem à intimidade que tinham. Mas me preocupa como vai ser a sua vida com essa ruptura deles dois, dois homens importantes na tua vida. Você até pode equacionar agora, mas e depois? Além da família dele que você estará incluído na tua vida, você terá esse elemento traumático que pode interferir no teu percurso em muitos momentos que são importantes para se compartilhar em família.

Você está em terapia? E ele? Se cada um conseguisse lidar melhor com isso, quem sabe poderiam ser mais claros e terem mais possibilidade de resolverem esses impasses.

Um abraço, boa sorte

Tags:, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,