Bate-Papo UOL

Bate-papo UOL – Luiz Cuschnir

Realizado após o lançamento da publicação “Homens sem Máscaras – Paixões e Segredos dos Homens”

(19:02:46) Luiz Cuschnir: entra na sala…

(19:04:10) Luiz Cuschnir: boa noite, pessoal – é um prazer estar aqui com vocês para conversar sobre depressão e principalmente o que passa na cabeça dos homens e, é claro, no sentimento deles.

(19:04:56) pedro fala para Dra. Elenice: kd o Dr Luiz?

(19:04:58) pedro fala para Luiz Cuschnir: Caro dr………. Conhece algum trabalho relacionando D. de Huntington à depressão?

(19:05:48) Luiz Cuschnir: não, não estou a par dessa patologia e a depressão

(19:06:13) Remeron fala para Luiz Cuschnir: Boa noite Dr. Namoro um rapaz há 5 meses, sendo que ele faz tratamento anti-depressivo a pouco mais de um ano com Remeron. Só que neste mês, com a dimuição da dose, ele diz sentir os mesmos medos e inseguranças do início do tratamento. O que posso fazê-lo para ajudá-lo?

(19:07:09) Luiz Cuschnir: peça para ele retornar com bte frequencia ao psiquiatra que o medica para ir acertando a dose e principalmente fazer psicoterapia

(19:07:24) Monica fala para Luiz Cuschnir: Pq as empresas “fogem” do assunto depressao?

(19:08:43) Luiz Cuschnir: depressão está associada com diminuição de produtividade e muitas vezes com a baixa estima. A tendência é que as pessoas não se mostrem deprimidas para não serem vistas como más profissionais. Com homem isso é pior ainda.

(19:08:54) Gizmo fala para Luiz Cuschnir: A depressão afeta a produtividade nas empresas? É possível medir esse efeito?

(19:09:52) Luiz Cuschnir: A medição é feita a partir do comportamento, dos resultados específicos de cada função, da piora do relacionamento entre os funcionários etc.

(19:10:01) LEANDRO fala para Luiz Cuschnir: HOJE. NO Brasil quem sofre mais com depressão o homem ou a mulher. e por que?

(19:11:43) Luiz Cuschnir: As estatísticas mostram mais mulheres apresentando este quadro. Mas, esse resultado é bte duvidoso qdo se aprofunda a atitude do homem em relação as suas dificuldades. A tendência dele é sempre esconder dos outros qdo não de si mesmo tudo o que tiver relacionado com a sua fragilidade, dúvida, medo, insegurança etc

(19:11:48) SM fala para Luiz Cuschnir: trabalho foro do Brasil e por aqui a pressao eh muito gde. Tem alguma tecnica para que possamos nos prevenir de entrar em depressao pelo stress?

(19:13:23) Luiz Cuschnir: É muito difícil o estresse não levar à depressão. Sabe-se que pessoas que passam muitas noites sem dormir bem têm mais tendência a ter depressão. Técnicas para evitar estresse devem ser avaliadas individualmente já que dependem diretamente da qualidade de vida e da possibilidade emocional de cada um de lidar com os próprios conflitos.

(19:13:31) telma fala para Luiz Cuschnir: Todas as áreas evoluíram. A psiquiatria enfrenta ainda, os velhos problemas. Depressão é tão antiga qto a humanidade e sofre-se ainda, mto com ela. Previsões de melhoras?

(19:14:56) Luiz Cuschnir: os laboratórios farmacêuticos alardeam que a cura já foi encontrada a partir da bioquímica e da manipulação com os remédios antidepressivos. Sabe-se que não existe a possibilidade de se lidar com depresão sem que se busque causas e atitudes que possam transformar a vida do deprimido.

(19:15:04) reinaldo pergunta para Luiz Cuschnir: que adianta esperar magica do anti depressivo, se a vida tá realmente dificil?

(19:16:19) Luiz Cuschnir: é exatamente que isto que estávamos comentando acima. A busca de lidar com uma vida difícil,com sentimentos e emoções mais equilibrados e uma vida afetiva adequada vão dar indicações de como fazer para que cada um possa melhorar.

(19:16:36) Rodrigo fala para Luiz Cuschnir: Além da questão da produtividade, quais os efeitos a longo prazo de se trabalhar “deprimido”?

(19:18:25) Luiz Cuschnir: o que acaba parecendo qdo acompanho os pacientes ao longo da carreita profissional deles,onde existe um quadro depressivo constante mesmo que camuflado, percebe-se que perdem a criatividade, a espontaneidade, a satisfação pela conquista e quaisquer indícios de que existe um crescimento profissional. Um executivo que está estagnado deve se questionar qto a possibilidade de estar deprimido.

(19:18:51) Remeron fala para Luiz Cuschnir: A depressão pode ser classificada em níveis?

(19:20:48) Luiz Cuschnir: Sim. Existe a depressão leve, moderada e profunda. Existe a possibilidade de ela estar comprometendo só um papel como o profissional ou ela está abrangendo vários papíes da vida do indíviduo como família, sociabilidade, profissão, negócios etc. As depressões mais severas muitas vezes levam até a uma anestesia dos sentimentos e emoções e o indivíduo nem chora mais. outros podem até continuar trabalhando normalmente.

(19:21:04) Remeron fala para Luiz Cuschnir: Gostaria de um contato telefônico com a clínica do doutor…

(19:21:54) Luiz Cuschnir: iden@uol.com.br e tel: (11) 3056-9860 – consultório

(19:21:57) ALINNE fala para Luiz Cuschnir: O QUE DIFERENCIA TISTREZA DE DEPRESSÁO

(19:22:57) Luiz Cuschnir: Tristeza é um estado relacionado a uma flutuação das emoções diárias. se ela não for persistente e não atinge níveis importantes, produtivos ou afetivos da vida não deve ser considerada depressão.

(19:23:06) Rodrigo fala para Luiz Cuschnir: Terapia, remédio ou ambos? Qual é a recomendação para a depressão “moderada”?

(19:24:36) Luiz Cuschnir: Com certeza, para todos os tipos de depressão a psicoterapaia é que tem a possibilidade de realmente provocar transformações profundas nos pacientes. A medicação eve ser indicada qdo não se consegue um trabalho psicoterápico satisfatório seja por uma urgência de tempo ou pela gravidade da depressão.

(19:24:49) Estressada fala para Luiz Cuschnir: Segundo a reportagem deste mes da revista Exame, algumas empresas estão adotando a religião como parte do ambiente de trabalho. Isso pode ser um remédio para a depressão dos executivos?

(19:25:50) Luiz Cuschnir: A religião é sempre um apoio emocional desde que seja encarada com equilíbiro e ponderação. Devemos sempre estar atentos com o famoso “tapar o sol com a peneira”.

(19:25:56) Estressada fala para Luiz Cuschnir: Até onde o fator externo pode atuar como agravante da depressão? Ou seja, um executivo sujeito as pressões diárias pode ser mais propenso a depressão do que um estudante?

(19:27:55) Luiz Cuschnir: Existem estudantes, hoje até crianças, que sofrem de depressão não caracterizada. No meu trabalho com adolescentes, principalmente na época de vestibular, encontramos uma incidência de distúrbios pscipatológicos até 20% da população. Um executivo pode estar extremamente deprimido , trabalhando muito e não ter a noção do quando está afetado.

(19:28:03) Remeron fala para Luiz Cuschnir: A depressão pode estar associada ao fator hereditário?

(19:29:15) Luiz Cuschnir: Só os quadros mais graves psicóticos têm uma associação hereditária. É claro que o ambiente de educação, os modelos de casa, o ambiente familiar vão influenciar para que o indivíduo possa ou não apresentar depressão em uma família.

(19:29:23) alessandra fala para Luiz Cuschnir: Gostaria de saber se a rotina do trabalho causa depressão/ E como evitar?

(19:30:25) Luiz Cuschnir: Com certeza, a rotina, em qualquer situação, impede do indivíduo sentir-se criativo, realizador, produtivo e utilizando todo o seu potencial. Isso a longo prazo pode indicar uma depressão.

(19:30:33) Cláudia pergunta para Luiz Cuschnir: Como podemos estimular amigos de trabalhos estressados?

(19:32:01) Luiz Cuschnir: As conversas íntimas, a possibilidade de escuta, a busca de ambientes onde o indivíduo não se isole (fora do ambiente de trabalho) podem ser alguns estímulos úteis para melhorar o relacionamento com essas pessoas.

(19:32:06) Cristiane fala para Luiz Cuschnir: Por que fala-se tanto em depressao e stress de executivos e se esquece desses sintomas em funcionários hierarquicamente menores, que tb sofrem a pressao naquele famoso efeito cascata? Qual a soluçao para esses funcionários que, geralmente, nao têm as mesmas condiçoes financeiras para custear os tratamentos que os executivos, em sua maioria têm?

(19:35:05) Luiz Cuschnir: existem vários níveis de psicoterapias. Psicoterapia individual é em geral mais custosa que a grupal. Consultório particular é mais caro que uma entidade pública ou uma faculdade onde há uma clínica psicológica para atendimento. No HC, serviço de psicoterapia do Instituto de Psiquiatria tenho vagas em aberto para grupos de homens e de mulheres separadamente. Gender Group – Tel – 3062-1274/3069-6575.

(19:35:09) Maria da Penha fala para Luiz Cuschnir: Olá Luiz! Que bom que você veio falar de um assunto tão importante para nós! Sou de Brasília, sua colega psicodramatista.

(19:35:16) Estressada fala para Luiz Cuschnir: Muito obrigada por suas respostas. Só tenho mais uma dúvida, a depressão é uma doença continua? Deve ser tratada durante toda a vida, ou é passível de cura definitiva?

(19:37:10) Luiz Cuschnir: Penha, que bom que vc está aí tb. Um beijo! estressada, a depressão, ela não deve se manter presente na vida de uma pessoa durante muito tempo com o risco de se cronificar e ser muito mais difícil o seu tratamento. A pessoa percebe quando a depressão já se curou e decide se ela quer continuar investindo no seu desenvolvimento pessoal, isto é, a sua psicoterapia.

(19:37:27) mm fala para Luiz Cuschnir: Hoje, quais são as pessoas mais indicadas para tratar desse problema nas empresas

(19:38:54) Luiz Cuschnir: São profissionais com capacidade de avaliar os distúrbios psicopatólogicos com uma boa visão de dinâmica grupal e uma conduta ética dentro desta função compatível com o tipo de informação que ele acabará recebendo.

(19:39:02) claudio fala para Luiz Cuschnir: o sr tem muitos empresarios clientes? qual a incidência de casos de depressão causada por stress profissional, por excesso de trabalho, por causa do clima competitivo nas empresas?

(19:41:11) Luiz Cuschnir: Atendo, cada vez mais, empresários e executivos. Muitas vezes, a queixa vem por dificuldades de satisfação na função, maus tratos dos hierarquicamente superiores e, em outros casos, a vida pessoal, familiar é que está ruindo. Aí, com o desenvolvimento do trabalho terapêutico, chegamos a entender mais globalmente os motivos da depressão e o despreparo para lidar com o estresse profissional.

(19:41:18) A_queridinha fala para Luiz Cuschnir: Doutor, gostaria de saber por que os homens concorrem tanto com as mulheres no lado profissional se o bacana é estarem em harmonia para se estabelecer um trabalho melhor para as empresas, para os homens e mulheres, com crescimento para ambos em trocas onde cada um poderia somar o “seu melhor” ao do outro?

(19:44:36) Luiz Cuschnir: Você está plenamente certa desde que os dois lados estejam prontos e lidando bem com as suas questões pessoais. Ser homem hoje´não é só dinheiro e ter uma boa performance sexual. ser mulher hoje, implica em um conflito diário de desenvolver sua vida afetiva ou desenvolver a vida profissional. O ambiente de trabalho não abarca estes conflitos, ignorá-os e acaba criando uma série de máscaras.

(19:44:41) mm fala para Luiz Cuschnir: Quais os melhores métodos para estar aplicando nas empresas que visem o combate ou a prevençaõ da depressão nas empresas?

(19:46:38) Luiz Cuschnir: Todos os métodos que visem o melhor ambiente de trabalho dão espaço para o desenvolvimento pessoal e o respeito ao indivíduo. No último livro que escrevi com Elyseu mardegan Jr. – um executivo – retratamos muitos momentos do profissional que se depara com a sua revolução silenciosa.

(19:46:42) Sílvia fala para Luiz Cuschnir: O workaholic não se configuaria também como um depressivo? Talvez um depressivo camuflado?

(19:47:36) Luiz Cuschnir: Nesse livro – “Homens e Suas Máscaras”, o workaholic é uma figura emblemática. O que é mais fácil é o homem camuflar a depressão com o excesso de trabalho.

(19:47:55) Ana fala para Luiz Cuschnir: Vc também pensa como Freud, que a depressão ocorre por causa da repressão da libido?

(19:49:25) Luiz Cuschnir: Seria muito simples se tudo ficasse restrito aos impulsos sexuais ou não. A depressão tem a ver com frustrações, com traumas emocionais, com abandonos, drogas, destruição do ambiente familiar e outras tantas situações que encontramos no mundo interno de cada um.

(19:49:42) Remeron fala para Luiz Cuschnir: Os anti-depressivos viciam a pessoa se ingeridos por muito tempo??

(19:50:43) Luiz Cuschnir: Das medicações psiquiátricas que dispomos é a mais segura com relação à dependências. Só precisa ser muito bem monitorado e, com certeza, associado ao desenvolvimento do indivíduo.

(19:51:05) Magaly fala para Luiz Cuschnir: A depressão pode causar morte?

(19:52:37) Luiz Cuschnir: Esse é o maior risco e as estatísticas mostram que homens se suicidam mais que mulheres, acidentes ocorrem com muita frequencia com indivíduos deprimidos qdo não também drogados ou alcolizados. Doenças como câncer aparecem associadas à depressões aparentes ou camufladas.

(19:52:47) Sérgio fala para Luiz Cuschnir: em primeiro lugar queria fazer um protesto contra os remédios. Eu tomei anti-depresivos e me fizeram muito mal. O que resolve a depressão é a pessoa se sentir preenchida.Dar remédios é apenas enganar o cerebro

(19:53:20) Luiz Cuschnir: Você tb tem razão, Sérgio.

(19:54:21) Luiz Cuschnir: Vc tb tem razão, Sérgio. Há pessoas que têm intolerância aos antidepressivos e precisamos encontrar alterantivas para elas se reestruturarem evitando que corram riscos maiores com a sua depressão.

(19:54:32) Ana fala para Luiz Cuschnir: Vc acredita que homeopatia e florais podem acabar com a depressão?

(19:55:27) Luiz Cuschnir: As depressões leves desde que sejam bem diagnosticadas podem ser tratadas das mais variadas maneiras. Tudo é uma questão de avaliar os riscos.

(19:55:44) sirena fala para Luiz Cuschnir: Como o executivi arruma tempo para se tratr se nao pode trabalhar menos que dez horas seguidas?

(19:55:51) Adriana de Barros/UOL: Clique aqui para participar da promoção de Exame que dará 2 exemplares do livro “Homens e suas Máscaras” durante este Bate-papo. Esta promoção é exclusiva para assinantes UOL

(19:57:16) Luiz Cuschnir: Ele abrir uma vez por semana um horário no meio do expediente compensando e acertando isso no seu ambiente de trabalho é uma maneira de ele negociar consigo e com seus superiores. Tratamento muitas vezes é investimento.

(19:57:27) Yanca fala para Luiz Cuschnir: Boa Tarde !! O que podemos fazer para previnir a Depressão ??

(19:58:00) Adriana de Barros/UOL: Clique aqui para participar da promoção de Exame que dará 2 exmplares do livro “Homens e suas Máscaras” durante este Bate-papo. Esta promoção é exclusiva para assinantes UOL

(19:58:52) Luiz Cuschnir: Exercícios físicos, evitar álcool e drogas, uma vida afetiva equilibrada e satisfação profissional podem prevenir, quando não, solucionar.

(19:59:08) Maikie fala para Luiz Cuschnir: Uma pessoa que se encontra com problemas de falta de criatividade, eufórica demais, de repente encontra-se em momentos tristes com pensamentos mórbidos (mudança de humor), tendendo ao isolamento social por vontade própria….. Pode-se considerar como um quadro de depressão?

(20:00:14) Luiz Cuschnir: Se isso tiver uma duração maior e uma intensidade que comprometa os vários papéis, podemos estar perante um quadro de depressão.

(20:00:23) Barbarella fala para Luiz Cuschnir: Quando uma pessoa começa a dar sinais de depressão?

(20:01:08) Barbarella fala para Luiz Cuschnir: obrigada, dr Cuschnir!

(20:02:13) Adriana de Barros/UOL: Os ganhadores do livro foram: Vivian e Célia de Moraes e Reinaldo Prado de Albuquerque Mello. Os livro serão enviados pelo Correio. Parabéns!

(20:02:33) Luiz Cuschnir: os primeiros sinais são difíceis de identificar se ela não teve episódios semelhantes que foram diagnosticados anteriormente. Uma pessoa que teve depressão sabe quando está entrando numa. Às vezes, a depressão aparece através de constantes estados de mau humor, irritabilidade, brigas excessivas, insônia, problemas alimentares, dificuldades sexuais, diminuição da produtividade geral ou específica etc.

(20:03:45) Adriana de Barros/UOL: O UOL enviará os livros através do correio

(20:04:11) Luiz Cuschnir:Pessoal, foi um prazer estar com vocês. O telefone do consultório é (11) 3056-9860 e o livro “Homens e Suas Máscaras” está disponível nas grandes livrares e pelo site: www.campus.com.br

Tags:, , , , , , , ,